Tradição



PARTILHAR

A primeira fábrica

1945

Carlo Ernesto Valente abre em Milão um estabelecimento para a produção de máquinas de café. Nasce assim a "Fabbrica Apparecchiature Elettro Meccaniche e Affini" (FAEMA).

O antigo armazém
FAEMA Marte

O pós-guerra

No pós-guerra, nos anos de grande desenvolvimento económico e das primeiras viagens ao espaço, a Faema lança máquinas com nomes inspirados no universo:

Saturno, de grandes dimensões, adequada a estabelecimentos de consumos importantes; Marte, com linhas futuristas, está entre as primeiras máquinas a apresentar no plexiglas a inscrição Infuso di Caffè Idrocompresso;
Venere, de dimensões reduzidas, para bares pequenos e para os círculos recreativos em ampla divulgação na Itália do pós-guerra; Urania, com formas e pormenores verdadeiramente "espaciais", com painel frontal retroiluminado.

Anos 60

Em 1961, é lançada a E61, a primeira máquina a utilizar uma bomba volumétrica para impulsionar a água no painel de café à pressão de 9 atmosferas, necessárias para a confecção do expresso, processo que substitui a utilização da alavanca. Além disso, a E61 otimiza o princípio da pré-infusão: ao molhar o pó de café durante alguns segundos antes de iniciar a distribuição, obtém-se a máxima extração das substâncias aromáticas.
 

Faema E61
FAEMA E66 DIPLOMATIC
A E66 Diplomatic apresenta muitas novidades, entre elas 7 programas de trabalho, 6 para a distribuição doseada e um para a distribuição contínua, "a síntese das experiências passadas e das mais recentes descobertas tecnológicas".
Apresentada na Feira Internacional de Milão de 1967, a X5 é uma máquina que, a partir da moagem do café em grão, prepara o café em modo completamente automático.
Eddie Merckx

Anos 70

Em pouco tempo, a empresa assume um papel de líder tanto no mercado italiano como nos mercados latinos em geral. Muito do sucesso deve-se à extraordinária atitude comercial que leva a empresa a investir de uma forma corajosa - em vários aspetos - em organização de venda e publicidade.
Especialmente assertiva e visionária é a decisão de patrocinar uma equipa de ciclismo e, entre os finais dos anos 60 e o início dos anos 70, a marca Faema está presente nas camisolas de campeões do calibre de Merckx, Adorni, Gaul e Van Looy.

1983

Desenhada por Ettore Sottsass e Aldo Cibic, a Faematronic é a primeira máquina tradicional com dosagem eletrónica e controlo dos parâmetros funcionais a partir do visor.

Faema Tronic

1991

Da mente criativa de Giugiaro nasce a E91, um produto inovador e elegante, que apresenta tecnologias de vanguarda nestes anos como, por exemplo, o sistema de autodiagnóstico. A E91 representa até hoje um grande sucesso comercial.

Faema E91

2000

É lançada a X3, uma nova geração de máquinas superautomáticas caraterizada pela utilização de materiais inovadores, por uma maior garantia de duração e higiene e por inovações tecnológicas como, por exemplo, o Smart Boiler, que otimiza o desempenho da emissão de água quente e vapor.
X3 Prestige2 Cappuccino
Faema Emblema

2008

De uma nova colaboração com Giugiaro Design, nasce a Emblema, máquina de design inovador capaz de oferecer serviços, desempenhos e tecnologia que está reservada apenas à joia da coroa. Criada por profissionais para profissionais do café, significa um ponto de viragem definitivo no setor.

2009

Nasce a Barcode, máquina superautomática de dimensões compactas que permite criar um menu cada vez mais vasto e de acordo com as exigências dos tempos modernos, também graças ao uso de bebidas solúveis e de um módulo específico para a distribuição do leite batido a frio.

2015

Faema celebra os seus primeiros 70 anos, e renova sua marca enriquecendo-a com um novo pay-off: EXPRESS YOUR ART.
EXPRESS YOUR ART diz o mito da marca e do produto, evoca atmosferas cheias de paixão, arte, tradição, qualidade e cultura do café, atingindo o universo do barista. A máquina FAEMA se torna o instrumento perfeito para interpretar a própria paixão pelo café e exaltar a própria arte.

Faema E71

2016

"Conhecemos artistas maravilhosos, capazes de nos fazer sentir emoções inimagináveis. Música, pintura, fotografia. Mas também arquitectura, escrita, cozinha. Se interpretados com respeito, cultura, paixão, podem transformar-se em arte e alcançar grandes alturas. E como estamos convencidos que também o café é uma arte, pensámos, concebemos e produzimos a nova FAEMA E71. Como é The best interpreter of master coffee artists. Um café de autor que celebra a melhor qualidade e misturas de café do mundo. Mas também a paixão, o conhecimento daqueles que ainda consideram o café uma arte.
Porque queremos que passe forte e claro o conceito de quem conhece e pratica a verdadeira arte do café, não se pode senão escolher a FAEMA E71. Porque queremos que passe forte e claro que quem aplica mais coração e mais cérebro no que faz, não pode senão escolher a FAEMA E71.
FAEMA E71. The best interpreter of master coffee artists".